30 agosto 2018

História de Amor - Vida Real

Oi gente linda, tudo bem ?
Quanto tempo!
Esse mês é muito especial, pois eu e meu namarido completamos 12 anos de namoro.


Lembro como se fosse hoje....
Ano 2006
Estava cegamente apaixonada por uma pessoa, ele era comprometido (estava em um namoro esquisito) e sei que não era certo gostar dele, mas não conseguia controlar a "fúria da paixão" ou "fogo da paixão" ?? Não Sei!
Na verdade o cara não estava nem aí para mim, mas ele tinha uma necessidade de que eu ficasse vidrada nele, mesmo que nós não tínhamos nenhum tipo vínculo.  
Bem, eu não conseguia ter um relacionamento com ninguém, porque quando eu começava algo e pensava "Tati, agora vai menina!!" ele  mandava sms (sim, não existia Whats) e eu me derretia toda e como uma otária terminava com o quase namorado.
Até que em de 2006 decidi mudar e parar de ter esperança em quem não me queria, e com essa atitude fiz uma carta para Deus pedindo uma pessoa para cuidar de mim e com algumas características do meu futuro marido, um tempinho depois Deus usou um senhor no ponto de ônibus, para falar sobre a área sentimental. Foi algo profundo e lindo♥
Mas mesmo decidida em virar a página, eu sofri muitoooo, sabe aquela paixão que a única vontade é escutar uma música de fossa, comer e chorar ? Era nessa maré que eu estava... mas mesmo na fossa a vida tinha que seguir, precisava seguir.
Até que em agosto uma amiga, a Hérika, falou sobre uma carinha do final da rua, que ele queria me conhecer.

"Tati, o Juninho do final da rua quer te conhecer !!!"
E eu fique tipo, Am ?Juninho? Que ? Quem? Como assim ? Não!!!!
E minha amiga falava "Meu, você só vai conhecer ele... não tem demais nisso".
E na minha cabeça pensava "Sossega minha filha, você prometeu que ficaria de boa" e um outra parte ficava "Vai que é tua!" Hahahha.
Sinceramente eu não o conhecia,  pensei que era uma outra pessoa... enfim.
Mas, depois de pensar por alguns minutos, falei "beleza pode marcar!".
No exato momento já veio aquele arrependimento, mas não desisti.
O combinado era de nos encontramos no point da época, na Lan House Brasil hahahhahahahahahha Sim, quase ninguém tinha internet e a nossa diversão era a lan house R$ 1,00 - 1 hora de muita internet (Coisa assim).

Deu o horário, não lembro de estar glamourosa, se não me engano calça jeans surrada, blusinha do exército, cabelos ao natural, uma máscara de cílios e gloss ? É pode ser, eu não me lembro de tantos detalhes como o Ju lembra.
Não podia perder mais tempo, falei que ia, agora tinha que ir, ficou combinado de ir eu, minha outra amiga Heloísa (conhecida como Bibi) e minha prima Bruna, pronto o trio completo indo se divertir na lan house.

Chegando no point aquele clima que só tinha na lan house, luz neon, cheiro de chulé com salgadinho e muita gente rindo para o computador. 
Utilizei a minha uma hora de pura diversão e nada do tal Juninho chegar.
E não chegou mesmo.
"Esse Juninho é um pipoca mesmo!!"
Falou Bibi na revolta.
Sinceramente fiquei chatiada, não queria tanto, mas não precisava me dar um bolo, depois disso voltamos para casa.

Ficamos no portão por alguns minutos, rindo e falando muito mal do tal Juninho.... até que.... vejo um rapaz alto, branquinho, com um médio sorriso se aproximando..... e meu coração acelerou mais que um liquidificador, minhas pernas ficaram tremulas, respiração descontrolada "Meu Deus que gato!", mas isso tudo por dentro, por fora eu continuava linda e plena.
Ele já chegou intimando "Quer dizer que sou pipoca Bibi?" eles tiveram uma discussão boba de alguns segundos, até que ele se apresentou com um beijo no rosto, cara eu tremia muito, não sei explicar.
A Bruna e a Bibi decidiram nos deixar conversando e eu e o Juninho começamos a conversar. Eu falava com ele e reparava em cada detalhe "Ele usa brinquinho?! OMG, Não!", "depois ele tira....Tatiane você nem sabe se vai ter futuro. Mas vai que...". Minha cabeça é assim, eu troco muita ideia comigo, com Deus e por ai vai rs. 

Conversamos por algumas horas e eu não queria parar de conversar, pois como uma boa caipira não queria ficar sem assunto para não chegar no finalmente. Smack!

Até que ??? Minha linda mãe, ah eu estava no portão de casa acho que não falei isso, voltando... minha mãe abriu a janela e gritou "Tatiiiiiiiiii, entra ta tarde", por dentro eu estava "Valeu mãe, nossa que mico!".
Até que o Juninho me solta essa "Acabou o assunto né? quando a gente fica sem assunto tem que beijar na boca." kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk 

MORRI!

(Eu estou rindo de verdade, o Ju foi muito direto.)

Quando ele falou isso fiquei com calor e frio, e a respiração ofegante e minha vontade era de sair correndo.... até que ele chegou perto e eu senti como ele estava cheiroso...até que ?

Abracei ele!!!
Estava com muita vergonha, depois do abraço veio nosso primeiro beijo.
Eu eu gostei muito rs.
Nos despedimos meio que sem jeito e entrei para casa, saltitando de alegria, SÉRIO!
Assim que nos conhecemos.


Casamos com 10 meses de namoro, muita coisa aconteceu.

Um menina cheia de complexos, feridas e traumas, conhece uma cara que não tem a mesma fé, pagodeiro e nunca foi comprometido com ninguém, mas que mistura!
Depois posso contar a outra parte.
Deixa a sua história nos comentários.
Um mega beijo e até a próxima♥



Nenhum comentário:

Postar um comentário